ADS

Galaxy S8 traz design fora do normal que vale o investimento

© Gabriela Biló/Estadão 

A câmera traseira do Galaxy S8 é seu principal atributo. A Samsung não seguiu o padrão do mercado de colocar duas câmeras traseiras, mas trouxe uma lente melhor que a do S7. O equipamento tem resolução de 12 megapixels e entrada de luz de f/1.7. O dispositivo não perde em nada em comparação com o iPhone 7+ e as fotos de detalhes saem boas, assim como as feitas durante a noite. A câmera frontal, apesar dos 5 megapixels de resolução, também acerta ao trazer vários filtros de imagens para tornas as selfies mais divertidas. 


O Galaxy S8 é o smartphone mais avançado da linha da Samsung e o principal concorrente do iPhone 7, última versão do modelo da Apple. Se você procura alto desempenho e não se preocupa em pagar caro, esse é o tipo de smartphone que você procura. O Galaxy S8 está enfrentando o desafio de colocar a Samsung novamente em destaque após o caso dos Galaxy Note 7 que explodiram e tiveram de ser descontinuados – esse modelo nem chegou às lojas do Brasil.

Por ser um topo de linha, o hardware do Samsung Galaxy S8 oferece ótimo desempenho e novos recursos ao mundo dos smartphones, como o leitor de íris e leitor de batimentos cardíacos. A bateria, de uso geral, dura um dia inteiro. Tanta tecnologia tem seu preço: o Galaxy S8 é vendido por R$ 4 mil e o Galaxy S8+ é vendido por R$ 4,4 mil. O investimento vale pela câmera excelente, design fora do normal e pelo leitor de íris – só a assistente pessoal Bixby deixa a desejar. Confira, abaixo, a análise completa:

Design. O visual é o ponto alto do smartphone Galaxy S8. O grande feito de engenharia da Samsung com o smartphone foi aumentar o tamanho da tela sem que o aparelho crescesse junto. Na prática, o S8 -- que tem medidas de 148,9 x 68,1 x 8 mm (LAP) e tela de 5,8 polegadas -- é um pouco menor que o Galaxy S7 Edge lançado em 2016 – que tinha medidas de 150,9 x 72,6 x 7,7 mm (LAP) e tela de 5,5 polegadas.

Já a versão maior, o Galaxy S8+ -- com medidas de 159,5 x 73,4 x 8,1 mm (LAP) e tela de 6,2 polegadas -- é apenas um pouco maior que o Apple iPhone 7+ -- que tem medidas de 158,2 x 77,9 x 7,3 mm (LAP) e tela de 5,5 polegadas.

© Gabriela Biló/Estadão 

Tela Infinita

De acordo com a Samsung, o novo S8 possui “bordas infinitas”. O smartphone tem bordas curvadas nas pontas e sua tela ocupa quase toda a parte frontal do aparelho, com as laterais pretas bastante reduzidas em cima e embaixo. Com isso, o S8 conseguiu a proeza de aumentar a tela do aparelho e ainda assim trazer um corpo menor que o do Galaxy S7. 

© Gabriela Biló/Estadão

Traseira

A parte de trás do aparelho é de alumínio e tem proteção contra água e poeira, seguindo o padrão IP68. A entrada mudou para o novo conector USB-C (usado para troca de dados com o computador e para recarga do aparelho), mas a entrada de fones de ouvido ainda é a mesma, diferentemente do iPhone 7. 

© Gabriela Biló/Estadão

Botões

Uma das novidades mais interessantes trazida pelo aparelho é a ausência de botões na parte da frente. O botão físico, presente até o S7, mudou para um botão virtual que vibra com o toque. O leitor de impressões digitais, no entanto, foi movido para a parte traseira, ao lado da câmera, o que pode causar problemas com possíveis dedos batendo sem querer na lente. ​ 

© Gabriela Biló/Estadão

Leitor de Íris

No quesito segurança, a Samsung deu um passo a mais ao adotar um leitor de íris para desbloqueio de tela no S8. O método funciona como a impressão digital: basta cadastrar a íris olhando para o sensor frontal e depois o desbloqueio ocorre ao olhar para a tela. Nos nossos testes, o reconhecimento foi rápido em ambientes claros e em carros à noite. Contudo, com lentes de contato ou óculos, o procedimento foi um pouco mais lento. 

© Gabriela Biló/Estadão

Assistente Pessoal

A interface do aparelho é a mesma apresentada no Galaxy Note 7: limpa e fácil de encontrar itens. O menu de aplicativos deixou de ter um botão na tela principal e agora pode ser acessado somente ao arrastar a tela para cima. Já a Bixby, assistente virtual concorrente da Siri (Apple) e do Google Assistant, ainda é um problema do aparelho. Apesar do botão físico lateral que facilita o acesso, a Bixby ainda não tem um sistema de reconhecimento de voz para o português, o que já está presente nos assistentes concorrentes. 

© Gabriela Biló/Estadão 

Desempenho

O Galaxy S8 é um aparelho rápido e que não trava. Ele trouxe melhorias interessantes em relação ao modelo anterior, como a adição do leitor de íris e mais rapidez para o leitor de impressão digital e o de batimentos cardíacos. A bateria dura um dia todo e o modo de recarga rápida permite mais algumas horas de uso com apenas alguns minutos na tomada. O preço sugerido de R$ 4 mil para o S8 e de R$ 4,4 mil para o S8+, apesar de salgado, vale a pena por causa dos itens de segurança e pelo design refinado. 

O smartphone é construído com uma grande peça de vidro curvado na frente, com bordas que a fabricante chama de “display infinito” e bordas reduzidas acima e abaixo da tela. Por conta disso, o S8 consegue ser menor que a geração anterior, dando a impressão de leveza e um design simples e elegante. 

O acabamento traseiro é de alumínio e o aparelho tem proteção contra água e poeira, seguindo o padrão IP68. A Samsung adotou o conector do novo padrão USB-C para troca de dados com o computador e recarga do aparelho e, diferente da Apple com o iPhone 7, manteve o conector padrão para fones de ouvido. 

Um dos detalhes mais interessantes do Galaxy S8 é o fato de ele não ter mais botões na frente: a Samsung substituiu o botão físico das gerações anteriores por um botão virtual com resposta ao toque -- ele vibra ao ser tocado, funcionando normalmente. Por conta disso, o leitor de impressões digitais foi movido para a parte traseira do smartphone e muito próximo à câmera, o que pode prejudicas as imagens por conta do toque dos dedos na lente.

O Galaxy S8 vem com um par de fones do tipo “in-ear” da marca AKG e acabamento em tecido -- o que reduz o entrelaçamento do fio na hora de guardar. 

Desempenho. Os dois modelos do Galaxy S8 têm a mesma configuração interna: processador Exynos de oito núcleos, 4 GB de memória RAM, 64 GB para armazenamento (expansível com cartões microSD) e leitor de impressões digitais e de íris (para desbloqueio do aparelho). Os aparelhos rodam sistema operacional Android 7, também conhecido como “Nougat", com uma camada de software clássica da Samsung e a assistente virtual Bixby.

A bateria de longa duração muda de acordo com a versão do aparelho: 3.000 mAH para o S8 e 3.500 mAH para o S8+. 

Um destaque de segurança é a adoção de um leitor de íris no S8, que pode ser usado para desbloquear a tela: basta cadastrar sua íris olhando para o sensor frontal e o destravamento acontece ao olhar para a tela. O processo é rápido e complementa a segurança em caso de perda ou roubo do telefone. Sem óculos, o reconhecimento é rápido, tanto em ambientes claros como em um carro à noite. Com óculos ou lentes de contato, o processo pode ser um pouco mais lento. 

Câmera. Outro grande destaque do Galaxy S8 é, sem dúvida, sua câmera traseira. A Samsung não adotou a técnica da Apple (iPhone 7+), LG (G6) e Asus (Zenfone 3 Zoom) com duas lentes traseiras, mas aprimorou a qualidade em relação ao Galaxy S7. A câmera tem resolução de 12 megapixels com lente luminosa (f/1.7). Os resultados, tanto no modo automático como no profissional, são excelentes e comparáveis à qualidade da câmera do iPhone 7+. Fotos de detalhes saem quase perfeitas e as cenas noturnas são muito boas também.

A câmera frontal do S8 também merece menção. Apesar de ter 5 megapixels de resolução, os inúmeros filtros de imagens integrados à câmera -- máscaras, fantasias, chapéus -- servem para tornar as selfies mais divertidas (ou constrangedoras). 

Software. O Galaxy S8 vem com a mais recente versão do Android instalada (7.0) e usa a interface TouchWiz, desenvolvida pela Samsung. O aparelho, em sua versão desbloqueada de varejo, tem poucos aplicativos de terceiros instalados (a maioria da Microsoft e do Google), além dos apps padrão da Samsung, incluindo Pay, Health e Galaxy Apps.

A interface é a mesma apresentada pela fabricante no Note 7, mais limpa e fácil de encontrar os itens. O menu de aplicativos, por exemplo, deixou de ter um botão fixo na tela principal: basta arrastar a tela para cima e toda a lista aparece.

Já a assistente virtual Bixby -- anunciada pela Samsung como concorrente da Siri, da Apple, e do Google Assistant -- é o ponto negativo do S8, pelo menos por ora. A Samsung, ao desenhar o aparelho, colocou um botão físico na lateral esquerda de acesso rápido à Bixby. Entretanto, o recurso funciona de forma limitada em português e ainda não tem reconhecimento de voz no idioma local, algo presente e funcional nos concorrentes.

O conceito da Bixby é organizar e ajudar o consumidor nas suas tarefas. Sua tela mostra fotos, agenda, alarmes e previsão do tempo. Algo útil na Bixby é a busca visual: você fotografa um objeto e ela faz uma busca na web mostrando resultados similares e, se estiver nos Estados Unidos, links para lojas virtuais para comprar o produto.

Henrique Martin | ESPECIAL PARA O ESTADO

MATÉRIA EM DESTAQUE:

WhatsApp deixa apagar mensagens que você se arrependeu de enviar

© EXAME.com Smartphone com vários apps, como WhatsApp, Messenger e Firefox  O WhatsApp começou a liberar uma função que permite apaga...

Qual o Melhor SmartPhone da Atualidade?

+ MMS:

Mundo MS No You Tube:

Tecnologia do Blogger.